O que aprender com o Acidente do Michael Schumacher

Ao fim deste mês de junho o triste caso do ex-piloto de Fórmula Um, Michael Schumacher completa três anos e meio. Desde o dia 29 de Dezembro de 2013 pouco se sabe sobre o real estado de saúde do esportista, por decisão da família, os boletins médicos estão cada vez mais raros e sem muitos detalhes.

A principal notícia que se tem é que o ex-piloto encontra-se hospitalizado em coma induzido desde o fatídico Dezembro de 2013.

Além de toda essa tragédia, um assunto que suscitou muitas discussões e controvérsias, diz respeito às seguradoras envolvidas no caso, especialmente responsáveis por dar suporte na ocorrência deste sinistro.

O fato é que Schumacher na data do acidente estava segurado contra os mais variados eventos, desde morte acidental até perda de renda por invalidez. Ao todo capitais segurados de mais de £ 50 milhões estavam contratados pelo alemão na data do evento.

Acontece que as seguradoras contratadas pelo ex-piloto exigiram o acionamento da polícia, como uma fonte de informação imparcial para afirmar o que de fato aconteceu no dia do acidente, como aconteceu e em quais circunstâncias.

A razão dessa controvérsia é que a o resort de esqui, cuja obrigação é zelar pela segurança de seus hóspedes, também é responsável por possíveis acidentes, bem como suas indenizações e outras implicações financeiras ocorridas em seus limites.

De acordo com a versão do resort, Schumacher, no momento do acidente, estava fora da pista oficial de esqui do estabelecimento, mesmo que ainda dentro das dependências do resort. Schumacher estaria conscientemente correndo riscos e, por isso, o resort não poderia ser penalizado pelo trágico acidente ocorrido e suas implicações financeiras.

No entanto, naquele meio tempo, a família do ex-piloto agonizava por alguma solução que pudesse trazer o mínimo de conforto e menos apreensão para um momento tão difícil, em que o prognóstico não era nada animador, e a previsão de despesas com gastos de saúde só aumentavam.

Qual lição pode-se tirar do caso Schumacher?

Devido às especificidades do caso, da notoriedade do segurado, da repercussão do evento e, principalmente dos valores envolvidos, este caso de Michael Schumacher acaba se tornando único.

No entanto, ao imaginarmos a agonia pela qual a família de Schumacher teve de passar, o sentimento de indefinição do caso, somada ao estado debilitado de um ente querido, somos levados a crer que a dor desse caso possa ser universal. Trata-se de uma das maiores dores possíveis que um ser humano pode se submeter

Posto este acontecimento, acredito que sejam válidas algumas dicas importantes antes da contratação efetiva de uma cobertura de seguro qualquer que seja ela a fim de se evitar um evento como esse, respeitadas as especificidades e proporções.

1) Ouça a opinião de um especialista em seguros – esse profissional dimensionará quais são seus riscos de maior probabilidade dado seu contexto profissional, financeiro e fisiológico. Em resumo, ele será capaz de fornecer argumentos técnicos que lhe darão suporte para escolher uma boa cobertura, sem que você incorra em faltas ou excessos de proteção;

2) Escute uma segunda opinião – tente consultar alguém que já contratou alguma apólice de seguro, e se possível alguém que já passou por algum sinistro ou algum beneficiário desse evento para entender as vantagens e os possíveis complicadores de todo o processo;

3) Conheça a seguradora que você está contratando – é fundamental conhecer quem será o responsável por estar segurando você, quem são os profissionais que irão cuidar do seu caso, pesquise sobre histórico de sinistros e indenizações da seguradora pretendida, busque informações de outros segurados sobre o atendimento da seguradora, em resumo, una o máximo de informações possíveis para ter certeza de que você está tomando a decisão que te deixa mais confortável em um momento tão importante quanto esse;

4) Leia atentamente as condições gerais de suas coberturas – depois de dados os três passos anteriores e enfim decidido qual cobertura contratar, não se esqueça de ler minunciosamente as condições gerais das coberturas desejadas, elas irão fornecer as principais informações sobre cada produto, sobre elegibilidades do segurado, possíveis eventos de contestação, o que caracteriza especificamente cada sinistro, implicações em caso de inadimplência, etc.

Busque estar atento às regras para poder exigir, ou para que possam exigir por você, seus direitos em eventos trágicos como o reportado nesse post.

Quer a ajuda de um Planejador Financeiro para definir o melhor seguro para você?

Agende uma Orientação Financeira Gratuita pelo link abaixo:

0 comments on “O que aprender com o Acidente do Michael SchumacherAdd yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *